Estrutura e Avaliação

Plantões e visitas no OS:

  1. Dias (7-19hs): 2 internos na neuroclínica e 1 na neurocirurgia.
  2. Noites (19-7hs): 1 interno na neuroclínica e 1 na neurocirurgia.

OBS: A escala de plantão deverá ser entregue ao preceptor no 2o dia de estágio.

Atribuições dos internos:

  1. Evoluir, prescrever, discutir e se responsabilizar pelas condutas de casos, que deverão ser passados por ele em visita e para os colegas quando da passagem de plantão. Ao final do estágio, cada interno deverá ter acompanhado um número mínimo de casos das seguintes patologias: acidente vascular cerebral, cefaléia, neuroinfecção, rebaixamento do nível de consciência, trauma de crânio, tumores, hipertensão intracraniana, mielopatia, hemorragia subaracnóidea.
  2. Coleta de LCR de pacientes, quando o residente permitir, sob sua supervisão ou do médico assistente.
  3. Atendimento de pacientes maiores de 12 anos após avaliação da Clínica Médica (exceto em casos de emergência); solicitação/coleta de exames subsidiários dos casos avaliados pelo interno
  4. Discussão de TODOS os casos avaliados com o assistente responsável e/ou o residente.
  5. Nos plantões na Neurocirurgia o interno poderá ser chamado a participar de cirurgias (hematoma extradural, hematuma subdural agudo, hematoma subdural crônico ou hipertensão intracraniana). Ao final do estágio o interno deverá ter participado de pelo menos uma cirurgia dos tópicos acima.
  6. Nos plantões da neurocirurgia, o interno deverá NECESSARIAMENTE acompanhar TODOS os casos de avaliação na sala de emergência cirúrgica.

Avaliação

Os internos serão submetidos a uma avaliação final que consiste de prova de questões abertas nos moldes da prova de residência da FMUSP. A nota da avaliação final servirá de base para a nota final do estágio. Serão levados em conta para o conceito, dado pelo preceptor:

  1. Ética e responsabilidade na condução dos casos.
  2. Interesse, participação e conhecimento médico durante as discussões.
  3. Capacidade de realizar e interpretar o exame neurológico na unidade de emergência.
  4. Capacidade de indicar e interpretar os exames complementares mais freqüentemente solicitados
    (CT de crânio e líquor).