Programa do Curso de Área de Formação em Dor

Introdução

 

 

Desenvolvimento do programa

O programa é desenvolvido com a participação dos residentes, estagiário e alunos do programa de extensão universitária da USP de acordo com programa pré-estabelecido que consiste de reuniões interdisciplinares, aulas, seminários, atuação em ambulatórios unidades de internação, laboratórios de investigação e de avaliação e de centro de intervenções neuroanestésicas, neurocirúrgica e reurorreabiliacionais e de medicina física do Hospital das Clínicas da FMUSP, FMUSP, Universidade de São Paulo e outros centros destacados de desenvolvimento tecnológico, de pesquisa e de ensino no país e no mundo.Ao final do período de treinamento, o aluno dever ter habilidades em todos os capítulos (a seguir deliados) do programa de ensino, ter competência para executar o atendimento de pessoas com dor aguda e crônica, desenvolver pesquisas nas áreas relacionadas e de executar ou participar de programas educacionais sobre o tema. Deverá, portanto, cumprir, pelo menos, 80% das atividades gerais e 100% das atividade essenciais.

  • Natureza e duração dos programas:

    • Programa de residência em neurocirurgia, neurologia e neuropediatria para os alunos de residência médica do Departamento de Neuologia da FMUSP: duração de 3 meses.
    • Programa de extensão universitária para profissionais com nível universitário: duração de um ano.
    • Programa de observação para profissionais da área da saúde: duração de um mês.
    • Programa de aperfeiçoamento para profissionais da área da saúde: duração de 3 a 12 meses.
    • Programa de matéria optativa para alunos de graduação da FMUSP: 12 h/ano.
    • Programa das Ligas de Dor e de Algias cranoifaciais para alunos de graduação da área da saúde: 160 h/ano
    • Programa dos cursos de pós-graduação em mestrado e doutorado da FMUSP: de acordo com as regras da FMUSP.
  • Capítulos dos programas:

    1. Taxonomia da Dor

    Objetivos: Conhecer as definições dos termos relacionados à anatomia, histologia,   fisiologia das estruturas relacionas à nocicepção e à dor, achados clínicos, síndromes dolorosas e procedimentos de avaliação, de prevenção e tratamento da dor e codificação da dor de acordo com as sociedades científicas e oficiais.

    2. Biologia da Dor

    2.1. Anatomia das estruturas do sistema nervoso periférico relacionadas ao processamento da dor.

    Objetivos: Conhecer a anatomia, a histologia microcelular e constituição subcelular dos nociceptores e outros receptores víscero, extero e proprioceptivos, canais iônicos, troncos nervosos, plexos e raízes nervosas, transição sistema nervoso periférico/sistema nervoso central e das vias eferentes motoras e neurovegetativas.

    2.2. Anatomia das estruturas do sistema nervoso central relacionadas ao processamento da dor.

    Objetivos: Conhecer a bilogia micro e subcelular dos receptores das vias aferentes periféricas víscero, extero e proprioceptivas na medula espinal, citoarquitetura funcional da medula espinal e complexo nuclear trigeminal, sinaptogênese, tratos espinais e encefálicos de projeção rostral e caudal relacionados à transmissão e modulação da nocicepção, estruturas do tronco encefálico, diencéfalo, tálamo e núcleos da base relacionadas à nocicepção e sua modulação e ao controle do alerta, das reações psicocomportamentais, vida de relação, atividades de vida diária e prática, neuroimunitárias, neurovegetativas e neuroendócrinas associadas ou decorrentes da dor, organização das estruturas corticais relacionadas à representação espacial, magnitudes, natureza e modalidades sensitivas, às memórias  e aos comportamentos psíquicos, neurovegetativos e modulatórios da dor.

    2.3. Mecanismos periféricos do processamento da nocicepção.

    Objetivos: Conhecer os mecanismos de ativação e recrutamento dos receptores víscero, extero e proprioceptivos, sensibilização e supressão dos receptores, dos axônios, dos gânglios sensitivos, a interação inflamação e dor, sistema nervoso neurovegetativo e dor, atividade muscular e dor, inflamação neurogênica, sistema nervoso sensitivo e trofismo tecidual, biologia dos neuromas de amputação e correntes efáticas, neurotrasmisores relacionados à nociepção no sistema nervoso periférico.

    2.4.  Mecanismos centrais relacionados ao processamento da nocicepção e da supressão da dor.

    Objetivos: Conhecer os mecanismos da transmissão dos estímulos no sistema nervoso central e da  sensibilização neuronal pelos neurotransmissores e citocinas e sua regulação na medula espinal e estruturas encefálicas, sinaptogênese, eficácia sináptica, potenciação e facilitação prolongada, wind up, potencial pós-sináptico inibitório e excitatório, segundos mensageiros, transcrição gênica, participação das células gliais e dos hormônios no processamento das sensibilidades, apoptose neuronal e sensibilização neuronal, dor referida, mecanismos do alerta, interação neuronal e
    percepção da dor, mecanismos de facilitação e supressão da dor nas unidades segmentares e suprassegmentares, interação encéfalo-medula espinal e o processamento da dor, regulação  das vias rostrocaudais e caudorrostrais facilitadoras e inibitórias da transmissão dolorosa, neuromatrix, mecanismos da interação sensitiva e da correlação recíproca entre dor, psiquismo, atividade neuro-humoral, neuroimunidade, sistema nervoso neurovegetativo, atividade endócrina e metabólica, vida de relação, atividades de vidas diária e prática e relações dor e gênero.

    3. Epidemiologia da dor

    Objetivos: conhecer a metodologia dos estudos epidemiológicos e a prevalência e incidência das condições dolorosas mais comuns e sua prevenção.

    4. Diagnóstico e Avaliação do Doente com Dor

    Objetivos: Conhecer a sistemática da coleta de elementos dos históricos da dor, dos antecedentes pessoais, familiares e dos diferentes siatemas, hábitos, ambientes,  experiências prévias quanto à execução de procedimentos diagnósticos e terapêuticos, exame físico, exame neurológico, exame do aparelho locomotor e do psiquismo e métodos de avaliação da dor, suas características fatores agravantes, perpetuantes ou de melhora nas diferentes faixas etárias e em indivíduos com transtornos da linguagem e ou anormalidades do alerta e da cognição; as escalas para avaliação da dor aguda, recidivante ou crônica, neuropática, visceral e ou somática não visceral nas diferentes faixas de idade e nos indivíduos com déficts de comunicação, atenção e ou cognição; inventários de avaliação psiquiátrica e psicológica; inventários de avaliação dos déficts e incapacidades e das repercussões sociais, econômicas e  culturais da dor; interpretação de exames de laboratório, eletrofisiológicos, de imagem e das provas funcionais; conceito da avaliação interdisciplinar.

    5.Características das Principais Síndromes Dolorosas

    5.1. De acordo com a duração

    5.1.1. Dor aguda

    Objetivos: Conhecero conceito,a epidemiologia, as causas mais comuns de dor aguda, a dor na unidade de emergência, nos períodos pós-traumático, pós-operatório ou pós-manipulação, a dor na unidade de terapia intensiva ou de recuperação, a dor no doente queimado, os mecanismos neuronais e não neuronais da sua ocorrência, as repercussões fisiológicas e psicossociais, os métodos diagnósticos e de avaliação e monitorização e a prevenção, os tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos da dor aguda e os procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.1.2. Dor recorrente

    Objetivos: Conhecero conceito,a epidemiologia, as causas mais comuns das dores recorrentes, a dor recorrente na unidade de emergência, sua sconsequencias quanto à sensibilização neuronal, e outras repercussões fisiológicas e psicossociais, métodos diagnósticos e de avaliação, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos da dor aguda e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.1.3. Dor crônica

    Objetivos: Conhecero conceito,a epidemiologia, as causas mais comuns de dor crônica, os mecanismos neuronais e não neuronais da sua ocorrência, suas repercussões fisiológicas, psicossociais e na qualidade de vida,  relacionamento entre dor déficits, inabilidades, incapacidades, transtornos psiquiátricos, litígios e simulação, métodos diagnósticos e de avaliação, significado dos exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.2 De acordo com a etiologia

    5.2.1. Dor fisiológica

    Objetivos: Conhecero conceito da nocicepção e da dor na ausência de doenças, significado dos achados nos exames clínicos, estratégias de enfrentamento, significado das provas funcionais, laboratório de dor e de sensibilidade, paradoxos entre dor e exames complementares.

    5.2.2 Dor somática não visceral.

    Objetivos: Conhecero conceito,a epidemiologia, as causas mais comuns, peculiaridades dos seus mecanismos de ocorrência, o significado da dor referida,  razões de sua cronificação,  repercussões fisiológicas, psicossociais e na qualidade de vida, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.2.3. Dor visceral

    Objetivos: Conhecero conceito, a epidemiologia, as causas mais comuns, peculiaridades dos seus mecanismos de ocorrência, peculiaridades da dor referida,   repercussões fisiológicas, psicossociais e na qualidade de vida, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.2.4. Dor neuropática  

    Objetivos: Conhecero conceito das dores neuropáticas e da neuropática de origem central ou periférica, a epidemiologia, causas mais comuns, peculiaridades dos seus mecanismos de ocorrência nas fases agudas e crônicas, peculiaridades da dor irradiada e referida, mecanismos fisiopatológicos das doenças neurológicas específicas, a doença neurológica e os déficts, incapacidades e inabilidades físicas, cognitivas e anormalidades psíquicas, repercussões fisiológicas, psicossociais e na qualidade de vida, métodos diagnósticos e de avaliação, escalas de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.2.5. Dor de natureza incerta

    Objetivos: Conhecero conceito das dores origem indeterminada, diagnóticos maisis comuns, peculiaridades dos seus mecanismos de ocorrência, possíveis mecanismos fisiopatológicos, dor e anormalidades cognitivas e psíquicas, simulação, ganhos secundários, significado dos métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3. De acordo com a localização

    5.3.1. Segmento cefálico

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, classificação, características clínicas, doenças funcionais e sintomáticas, peculiaridades fisiopatológicas, dor referida no segmento cefálico, determinantes de sua ocorrência e agravamento, suas repercussões, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que padecem com cefaléias e dor orofaciais.

    5.3.2. Dor cervical

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, classificação, características clínicas, doenças estruturais, funcionais e sintomáticas, peculiaridades fisiopatológicas, determinantes de sua ocorrência e agravamento, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.3. Dor torácica

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, classificação, significados simbólicos, características clínicas, principais doenças estruturais, funcionais e sintomáticas, peculiaridades fisiopatológicas, origens visceral, parietal, neuropática e funcional, dor referida determinantes de sua ocorrência e agravamento, suas repercussões físicas e psíquicas, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.4. Dor abdominal

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, classificação, significados simbólicos, características clínicas, principais doenças estruturais, funcionais e sintomáticas, peculiaridades fisiopatológicas, origens visceral, parietal, neuropática e funcional, dor referida, determinantes de sua ocorrência e agravamento, suas repercussões físicas e psíquicas, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.5. Dor pelviperineal

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, classificação, significados simbólicos, características clínicas, principais doenças estruturais, funcionais e sintomáticas,

    peculiaridades fisiopatológicas, origens visceral, parietal, neuropática e funcional, dor referida, determinantes de sua ocorrência e agravamento, suas repercussões físicas e psíquicas, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.6. Dor na região dorsal

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, classificação, significados simbólicos, características clínicas, principais doenças estruturais, funcionais e sintomáticas, peculiaridades fisiopatológicas, origem visceral, parietal, neuropática e funcional, dor referida, determinantes de sua ocorrência e agravamento, suas repercussões físicas e psíquicas, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.7. Dor lombar

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, classificação, significados simbólicos, características clínicas, principais doenças estruturais, funcionais e sintomáticas, peculiaridades fisiopatológicas, origem visceral, parietal, neuropática e funcional, dor referida, controvérsias sobre dor discogênica, simulação, lombalgia e doença do trablho, significado do repouso físico, determinantes de sua ocorrência e agravamento, repercussões físicas e psíquicas, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.8.  Dor nos membros superiores

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, classificação, características clínicas, principais doenças estruturais, funcionais e sintomáticas, doenças osteorticulares relacionadas ao trabalho, peculiaridades fisiopatológicas, dor localizada, irradiada ou referida,  determinantes de sua ocorrência e agravamento, repercussões físicas e psíquicas, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.9. Dor nos membros inferiores

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, classificação, características clínicas, principais doenças estruturais, funcionais e sintomáticas, dor localizada, irradiada ou referida,  determinantes de sua ocorrência e agravamento, repercussões físicas e psíquicas, métodos diagnósticos e de avaliação, exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.10. Síndromes dolorosas moiofasciais

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, características clínicas, mecanismos de ocorrência e agravamento, significado dos pontos-gatilho e pontos dolorosos, contração muscular localizada, sinal de retirada, principais doenças estruturais, funcionais e sintomáticas relacionadas, dor localizada, irradiada ou referida,  determinantes de sua ocorrência, repercussões e desencadeantes físicos, psíquicos e estruturais, métodos diagnósticos e de avaliação, significados dos exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.11. Síndrome fibriomiálgica

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, controvérsias conceituais, características clínicas, mecanismos de ocorrência e agravamento, significado dos pontos dolorosos,  principais doenças estruturais, funcionais e sintomáticas relacionadas,  determinantes de sua ocorrência, repercussões e desencadeantes físicos, psíquicos e estruturais, métodos diagnósticos e de avaliação, avaliações funcionais, significado dos exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    5.3.12. Dor em afecções reumatológicas

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, o processo inflmatório, as doenças reumatológicas mais comuns, características clínicas, mecanismos de ocorrência e agravamento, dor localizada, irradiada ou referida,  determinantes de sua ocorrência, repercussões e desencadeantes físicos, psíquicos e estruturais, métodos diagnósticos e de avaliação, significados dos exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que delas padecem.

    5.3.13. Dor no doente com câncer       

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, síndrome dolorosas e suas características clínicas, peculiaridades sobre a ocorrência e agravamento da dor aguda e crônica, dor não relacionada o câncer ou suas repercussões,  determinantes de sua ocorrência, repercussões e desencadeantes físicos, psíquicos e estruturais, métodos diagnósticos e de avaliação, significado dos exames complementares, prevenção, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem, conceito obre doença avançad e terminal, eutnásia, ortotanásia e significado do luto.

    6. Dor em Condições Especiais

    6.1. Dor nas faixas pediátricas

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, correlação entre desenvolvimento neurológico evolutivo e expressão da dor e das sensibilidades, características clínicas das principais dores agudas e crônicas, mecanismos de ocorrência e agravamento, principais doenças estruturais, funcionais, comportamentais e sintomáticas relacionadas,  determinantes de sua ocorrência, repercussões e desencadeantes físicos, psíquicos e estruturais, métodos diagnósticos e de avaliação, escalas de avaliação, exames complementares, prevenção, aspectos peculiares do metabolismo, farmacocinética e farmacodinâmica,  tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    6.2. Dor no doente geriátrico

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, correlação entre a degeneração da estrutura do organismo e das unidades integrantes do sistema nervoso e a expressão da dor, das sensibilidades e dos comportamento psíquico, neuro-humoral, neuroimunitário, neurovegetativo, vida de relação, atividades de vida diária e prática, características clínicas das principais dores agudas e crônicas, peculiaridades dos mecanismos de ocorrência e agravamento, principais doenças estruturais, funcionais, comportamentais e sintomáticas relacionadas,  determinantes de sua ocorrência, repercussões e desencadeantes físicos, psíquicos e estruturais, métodos diagnósticos e de avaliação, escalas de avaliação, anormalkidades cognitivas e comportamentais,  exames complementares, prevenção, peculiaridades do mmetabolismo, farmacocinética e farmacodinâmica, interação medicamentosa, tratamentos farmacológicos e não-farmacológicos e procedimentos de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    6.3. Dor no doente dependente de drogas

    Objetivos: Conhecer as peculiaridades do processamento da dor no dependente de drogas, as limitações e riscos das intervenções medicamentosas ou não medicamentosas, as recomendações quanto ao uso de opióides e psicotrópicos e os métodos de reabilitação e de reintegração destes doentes.

    6.4. Dor no doente cardiopata

    Objetivos: Conhecer as peculiaridades das limitações e os riscos das intervenções medicamentosas ou não medicamentosas e os métodos de reabilitação e de reintegração dos doentes com isquemia miocárdica, arritimia e ou insuficiência cardíaca.

    6.5. Dor no doente nefropata

    Objetivos: Conhecer as peculiaridades das limitações e os riscos das intervenções medicamentosas e as recomendações para o uso das interveções não medicamentosas.

    6.6. Dor no doente hepatopata

    Objetivos: Conhecer as peculiaridades das limitações e os riscos das intervenções medicamentosas e as recomendações para o uso das interveções não medicamentosas.

    6.7. Dor no doente pneumopata

    Objetivos: Conhecer as peculiaridades das limitações e os riscos das intervenções medicamentosas e as recomendações para o uso das interveções não medicamentosas.

    6.8. Dor no doente chocado

    Objetivos: Conhecer as peculiaridades das limitações e os riscos das intervenções medicamentosas e as recomendações para o uso das interveções não medicamentosas.

    6.9. Dor no doente distrófico

    Objetivos: Conhecer as peculiaridades das limitações e os riscos das intervenções medicamentosas e nutriciaonais e recomendações para o uso das interveções não medicamentosas.

    6.10. Dor na unidade emergência e em unidades de terapia intensiva e de pós-operatório

    Objetivos: Conhecer a epidemiologia, as características clínicas das principais doenças estruturais, funcionais, comportamentais e sintomáticas agudas,   determinantes e mecanismos de sua ocorrência e agravamento,  métodos diagnósticos e escalas de avaliação, prevenção, aspectos peculiares do tratamento, metabolismo, farmacocinética e farmacodinâmica dos fármacos utilizados para seu controle, procedimentos não-farmacológicos, de reabilitação e de reintegração dos doentes que dela padecem.

    7. Tratamento da Dor

    7.1. Tratamento farmacológico

    Objetivos: Conhecer as classes de medicamentos utilizados como analgésicos ou adjuvantes para tratar o doente com dor e prevenir a ocorrência e as repercussões da dor e ou tratar as doenças causais (analgésicos simples, anti-inflamatórios não hormonais, analgésicos opióides, antidepressivos, neurolépticos, miorrelaxantes, anticonvulsivantes, antagonistas NMDA, tranquilizantes menores, anestésicos locais. medicamentos tópicos, agonistas adrenéricos alfa, bloqueadores adrenérgicos beta, serotoninérgicos e antisserotoninérgicos, inibidores de osteoclase, bloqueadores de canais de sódio oou de cálcio, anest´sicos locais, depletores de substância P, antiespasmódicos), vias de administrção de fámacos, complicações e adversidades de seu uso, contraindicações, interações medicamentosas, idiossincrasia, farmacocinética e farmacodinâmica e farmacoeconomia e indicações do uso de fármacos em situações especiais relaciona ao grupos etários e condições etiológicas, nosológicas e características clínicas individuais.

    7.2. Medicina Física e Reabilitação

    Objetivos: Conhecer os princípios, as indicações, contraindicações, limitações e  complicações do uso dos meios físicos, do tratamento dos pontos-gatilho e dolorosos, das infiltrações articulares e da acupuntura no tratamento da dor, conhecer os procedimentos de medicina física no tratamento da dor, do seu agravamento e sua perpetuação e os principais e as mais importantes indicações dos métodos de reabilitação.

    7.3. Terapias Psicocomportamentais

    Objetivos: Conhecer as modalidades das terapias psicológicas, incluindo-se a terapia cognitivocomportamental, o biofeedback, a hipnose, o relaxamento, as escolas psicoeducativas, suas principais indicações na prevenção, tratamento, reabilitação e reintegração dos doentes, limitações e riscos dos procedimentos.

    7.4. Intervenções do Serviço de Assistência Social, do Perito e da Medicina do Trabalho

    Objetivos: Conhecer as técnicas e os inventários de avaliação dos déficts, incapacidades, nexos causais,  possibilidades de reintegração e treinamento dos oentes acometidos pela dor.

    7.5. Interveções Anestésicas em Dor

    Objetivos: Conhecer os métodos destinados aos bloqueios regionais do sistema nervoso neurovegetativo simpático, troncos nervosos periféricos, plexos e raízes nervosas, princípios de anestesia geral, natureza e doses dos fármacos utilizados, principais indicações, riscos e limitações.

    7.6. Tratamento Neurocirúrgico Funcional da Dor

    Objetivos: Conhecer os métodos e as principais indicações, limitações e complicações das neurocirurgias funcionais destinadas ao tratamento da dor, incluindo-se as técnicas ablativas realizadas no sistema nervoso neurovegetativo simpático, as neurotomias, as rizotomias, a lesão do trato de Lissauer e do corno posterior da substância cinzenta da medula espinal, as cordotomias, as mielotomias, as tratotomia do tronco encefálico, as talamotomias, as hipofisectomias,  as cirurgia endorinológicas,  as cirurgias psiquiátricas; as técnicas de neuroestimulação do sistema nervoso periférico somático e neurovegetativo, da medula espinal, do encéfalo profundo e do córtex cerebral; e os procedimentos de implante de dispositivos visando à infusão de analgésicos ou adjuvantes nos compartimentos espinal ou craniano.

    8. Clínicas e Centros de Dor

    Objetivos: Conhecer osconceitos dos significados das unidades isoladas, clínicas especializadas em afecções especiais ou em procedimentos e centros multi e interdisciplinares de dor, sua organização e funcionamento.

    9. Laboratórios e Investigações em Dor

    Objetivos:

    • Aprender e aplicar técnicas laboratório visando a melhorar o  conhecimento da biologia  da dor e de sua supressão em animais de experimentação, cultura de tecidos e ambientes artificiais, desenvolver aplicar métodos de avaliação e de análide resultados de intervenções em laboratório de investigação da dor no ser humano
    • Desenvolver oesquisa relacionadas à biologia, avaliação, epidemiologia e tratamento da dor
    • Desenvolver teses e publicações sobre dor.

    10. Locais

    • Ambulatórios das Divisões de Clínica Neurológica, de Clínica Neurocirúrgica  e de Odontologia do IC HCFMUSP, de Neurocirurgia Funcional do IPq HCFMUSP, da Divisão de Medicina Física do IOT HCFMUSP e do ICESP do HCFMUSP.
    • Laboratório do LIN da Disciplina de Técnica Cirúrgica do Departamento de Cirurgia da FMUSP.
    • Anfiteatros e salas de reuniões Divisões de Clínica Neurológica, de Clínica Neurocirúrgica  e de Odontologia do IC HCFMUSP, de Neurocirurgia Funcional do IPq HCFMUSP, da Divisão de Medicina Física do IOT HCFMUSP, do ICESP do HCFMUSP e do LIN da Disciplina de Técnica Cirúrgica do Departamento de Cirurgia da FMUSP.

    11. Coordenações e Responsabilidades

    Professores das disciplinas de Neurocirurgia, Neurologia e Neuropediatria do Departamento de Neurologia da FMUSP.
    Profissionais das Divisões de Clínica Neurológica, de Clínica Neurocirúrgica  e de Odontologia do IC HCFMUSP, de Neurocirurgia Funcional do IPq HCFMUSP, da Divisão de Medicina Física do IOT HCFMUSP, neurologistas e neurocirurgiões do ICESP  HCFMUSP e do LIN da Disciplina de Técnica Cirúrgica do Departamento de Cirurgia da FMUSP.

    12. Bibliografia

    1. SIQUEIRA JJT e TEIXEIRA MJ Dores Orofaciais. Diagnóstico e tratamento. 1a. ed. São Paulo : Artes médicas, 2012.

    2. BRIOSCHI, M.L, TEIXEIRA, M. J., YENG, LIN TCHIA, SILVA, F. M. R. M. Manual de Termografia Médica. São Paulo: Livraria e Editora Andreoli, 2012, v.1. p.239.

    3. ALVES NETO, O. ; COSTA, C. M. C. ; SIQUEIRA, J. T. T. ; TEIXEIRA, M. J. . Dor, Princípios e Prática. Porto Alegre: Artmed, 2009. 1440 p.

    4. TEIXEIRA, M. J. ; YENG, Lin Tchia ; KAZIYAMA, Helena Hideko Seguchi . Dor, Síndrome dolorosa miofascial e dor músculo-esquelética. 1. ed. São Paulo: Roca, 2008. 659 p.

    5. TEIXEIRA, M. J. . Dor, Manual para o Clínico. 1. ed. São Paulo: Atheneu, 2006. v. 1. 562 p.

    6. TEIXEIRA, M. J. ; BRAUM FILHO, J.L. ; MARQUEZ, J.O. ; YENG, Lin Tchia . Dor: Contexto Interdisciplinar. 1. ed. Curitiba: Maio, 2003. v. 1. 840 p.

    7. TEIXEIRA, M. J. . Aspectos Gerais da Dor. In: Uma Nova Abordagem no Tratamento da Dor. 1. ed. São Paulo: Pharmacia/Pfizer, 2002. v. 1.

    8. SIQUEIRA, J. T. T. ; TEIXEIRA, M. J. . Dor Orofacial. Diagnóstico, Terapêutica e Qualidade de Vida. 1. ed. Curitiba: Maio, 2001. v. 1. 650 p.

    9. TEIXEIRA, M. J. ; FIGUEIRÓ, J. A. B. . Dor: Epidemiologia, Fisiopatologia, Avaliação, Síndromes Dolorosas e Tratamento. 1. ed. São Paulo: Moreira Jr., 2001. v. 1. 406 p.

    10. TEIXEIRA, M. J. ; FIGUEIRÓ, J. A. B. . Dor – Epidemiologia e evolução histórica da dor. São Paulo: Moreira Jr., 2001. v. 1.

    11. ‘TEIXEIRA, M. J. ; LIN, T. Y. . Dor Orofacial/ATM Bases pra o Diagnóstico Clínico. 1. ed. Curitiba: Editora Maio, 1999. 3 p.

    12. TEIXEIRA, M. J. . Dor. Tratamento Farmacológico da Dor. Curitiba: Maio, 1999. v. 1. 101 p.

    13. CAVALCANTE, V. O. ; TEIXEIRA, M. J. ; PIMENTA, C. A. M. ; CORREA, C. F. . Catéter epidural, bomba de infusão e estimulação elétrica do sistema nervoso central para o tratamento da dor crônica. São Paulo: Oficina Gráfica do Laboratório Cristália, 1999. 22 p.

    14. TEIXEIRA, M. J. . Dor Neuropática. 1. ed. São Paulo: Lemos, 1999. v. 1. 56 p.

    15. TEIXEIRA, M. J. ; PIMENTA, C. A. M. ; NEVES, A. T. A. ; PERROTA, A. C. . A dor e seu controle. 1. ed. São Paulo: FURP, 1998. v. 1. 19 p.

    16. TEIXEIRA, M. J. ; SHIBATA, M. K. ; MATTOS, C.A.M. ; CORREA, C. F. . Dor no Brasil – Estado Atual e Perspectivas.. São Paulo: Limay, 1995. 196 p.

    17. TEIXEIRA, M. J. ; CORRÊA, C. F. ; PIMENTA, C. A. M. . Dor – Conceitos Gerais. Primeiro Estudo Máster de Dor. 1. ed. São Paulo: Limay, 1994. v. 1. 72 p.

    18. PIMENTA, C. A. M. ; CORRÊA, C. F. ; NÓBREGA, M. L. ; TEIXEIRA, M. J. . Manual de orientação para pacientes. Utilização de cateter e reservatório para infusão de analgésicos no sistema nervoso central. 1. ed. São Paulo: Abott, 1993. v. 1. 14 p.

    19. CAMPOS, J. V. M. ; TEIXEIRA, M. J. ; GEMIO, M. . Nutrição Protéica em Crianças – Evolução dos Conhecimentos nos últimos dez anos. São Paulo: Nestlé, 1974.